terça-feira, 22 de janeiro de 2013

E e e e...



O bom de ser escritor é que basta dizer que é escritor - e escrever algo que prove isso. Não precisa ser bom, afinal, você se intitulou um escritor, e não um bom escritor. O bom de ser escritor é que alguém, em algum lugar, vai achar que você é um bom escritor, mesmo que você se intitule apenas um escritor - mesmo que você seja apenas um escritor. E, normalmente, esse alguém não será a sua mãe – o que pela tradição lhe parecerá como algo bom. Você vai ser um bom escritor se tiver amigos, que vão te elogiar mesmo que você seja só mais um escritor, e não um dos bons. E o bom de receber elogios, fora receber elogios e se sentir bem com isso, é que você nunca vai se cansar disso e, não importa quantos elogios receba, você sempre vai se intitular apenas como um escritor. E você vai ser um bom escritor também se não tiver amigos – ou alguém que o leia -, porque você vai se ler e vai terminar os textos e se perguntar quem escreveu aquilo.
E você vai escrever o que quiser escrever – e também vai escrever o que os outros querem ler. E vai escrever quando estiver sozinho; e rabiscar algum pedaço de papel quando entre pessoas – conhecidas ou não – e cachorros e gatos e pássaros – conhecidos ou não. E vai continuar sozinho e vai continuar sendo um escritor – conhecido ou não.